A fibrilação atrial (FA) é um tipo de arritmia cardíaca que faz com que o coração bata fora do ritmo. Esse bombeamento desregulado faz com que porções de sangue fiquem paradas, criando coágulos nas paredes dos átrios 1

Esses coágulos podem se desprender, entrar na circulação sanguínea e chegar em qualquer parte do corpo, como braços, pernas, ou – no caso mais perigoso de todos – no cérebro, o que pode provocar um AVC.

O AVC é a segunda causa de morte mais comum no Brasil e no mundo 2 e também figura como a principal causa de incapacidade global. Um dos principais fatores de risco da doença é a fibrilação atrial, que aumenta em cinco vezes as chances de sofrer um AVC 3. Em todo o mundo, por ano, três milhões de pessoas têm AVC relacionado à fibrilação atrial. Além disso, estima-se que 1 em cada 6 AVCs ocorram em pacientes com fibrilação atrial 4.

O acidente vascular cerebral é a principal complicação desta arritmia cardíaca. No entanto, muitos dos AVCs relacionados à fibrilação atrial podem ser evitados com a medicação anticoagulante adequada, mas grande parte dos pacientes não está sob tratamento devido às dificuldades no manejo dos medicamentos disponíveis e por desconhecimento das complicações da doença.


Referências

1- Atrial Fibrillation Fact Sheet, National Heart Blood and Lung Institute Diseases and conditions Index, October 2009. Disponível em https://www.nhlbi.nih.gov/health/health-topics/topics/af. Último acesso em 18 de setembro de 2017.

2- Lozano R, et al. Lancet 2012;380:2095-2128.

3- Lorga Filho, Adalberto et al. Diretriz de fibrilação atrial. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2003, vol.81, suppl.6 [cited 2017-09-19], pp.2-24. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2003002000002&lng=en&nrm=iso. ISSN 0066-782X. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2003002000002. Último acesso em 19 de setembro de 2017.

4- Mattle H, P, Long-Term Outcome after Stroke due to Atrial Fibrillation. Cerebrovasc Dis 2003;16(suppl 1):3-8. Disponível em https://doi.org/10.1159/000069934. Último acesso em 19 de setembro de 2017.